Laboratório de Inclusão Digital

Inaugurado em julho de 2019, o Laboratório de Inclusão Digital, Qualificação Profissional Tecnológica e Cidadania, desenvolve ações voltadas para a qualificação e profissionalização de públicos vulneráveis do Distrito Federal, bem como para a capacitação de defensores e servidores da DPDF que, até o momento, já renderam mais de 1.000 horas de capacitação.

A iniciativa do Ministério Público do Trabalho (Procuradoria Regional do Trabalho da 10ª Região), por intermédio da Coordenadoria de Combate à Exploração do Trabalho da Criança e do Adolescente, juntamente com a Defensoria Pública do Distrito Federal, por meio de sua Escola, em parceria com o Serviço Nacional de Aprendizagem (Senai), promoveu o curso de Operador de Computador à comunidade surda e a adolescentes e jovens em vulnerabilidade – em especial usuários do sistema socioeducativo e adolescentes em situação de acolhimento institucional; cursos do Sistema Eletrônico de Informações (SEI) e PJe; e o curso de Informática para Mulheres.

Instalado na Escola da DPDF, o laboratório auxilia a garantia do direito à educação de todo cidadão brasileiro e do direito à profissionalização dos adolescentes e jovens previstos no artigo 227 da Constituição Federal e no art. 94, inciso X, do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA). Assim, a inclusão digital não só potencializa o acesso à informação, mas também proporciona o desenvolvimento de habilidades necessárias para manipular a tecnologia e contribuir para a melhor inserção no mercado de trabalho.

Para mais informações, acompanhe as publicações da Escola sobre o projeto e seus desdobramentos em nosso site.